sábado, 7 de fevereiro de 2009

a vida não pára

"Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma, e quando o corpo pede um pouco mais de alma, a vida não pára (…)”

Aprendi contigo que fraquejar jamais será solução de algo; digamos que te tornaste num teste onde testaste as minhas capacidades de reacção, a minha paciência e o meu orgulho. Tanto que tive a cotação máxima no que toca às capacidades de reacção e, por outro lado, obtive um zero bem redondo na questão do orgulho. Tanto que fraquejei e… de que me adiantou? Se nos perdemos no tempo nas suas ruas rectilíneas e bem definidas é sinal de que já desconhecíamos o nosso percurso de vida.
“A gente espera do mundo e o mundo espera de nós, um pouco mais de paciência”
Entregámos sem esperar nada em troca e esquecemo-nos de que as trocas são tão mútuas como entregar ao mundo e o mundo entregar a nós; a luta e a garra de apenas uma parte não são soluções, por muita paciência que exista da outra parte.
Mudei rotinas a aprendi a não dar tanto de mim. Desculpa se te habituei demasiado, esqueci-me das consequências dos meus actos – assim como me esqueci de por o orgulho de parte mais cedo.
A vida não pára…

2 comentários:

Nuno Florenço disse...

"Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma, e quando o corpo pede um pouco mais de alma, a vida não pára (…)”
Simplesmente... LINDO! :')
*

Qel disse...

«(...) a luta e a garra de apenas uma parte não são soluções, por muita paciência que exista da outra parte».
É tão verdade isto que escreveste! Tal como uma "afirmação" minha de q tu gostaste num texto estes dias, também eu admirei esta tua sobre a entrega recíproca.
É mesmo assim q as relações funcionam - ou se não, deviam -, com entregas e devoluções. Não se trata de esperar nada em troca, nem de exigir ou sequer de requerer. Trata-se sim de apelar a um bocadinho de bom-senso, de desejar ver um pouco de respeito pela outra parte ser retribuído ou, pelo menos, reconhecido. É um dar e receber q tenciona ser constante e só assim, com as duas partes equilibradas, é q as relações resultam. Tal como um relógio precisa de (pelo menos) dois ponteiros para funcionar, como a lua precisa do sol para brilhar e mais inúmeros outros ele/os q não funcionam sem a junção/cooperação de duas partes, também as relações necessitam de dois lados q se completem em iguais proporções para funcionarem em harmonia.
Concordo com tudo o q disseste, tenho o mesmo ponto de vista. Portanto escusado será dizer q apreciei bastante :)
Um grande beijinho, pequena *