domingo, 27 de dezembro de 2009

apostar no triunfo


Cheguei à conclusão que a vida construída à minha maneira corre-me às mil maravilhas, que não preciso de ninguém para decidir para que lado devo virar ou se devo voltar atrás – embora por vezes seja bom que surja outra opinião se não aquela que formulo e quando preciso dela, não falha – pois ultimamente tenho acertado em todos os alvos que se atravessam à minha frente, vou pontuando em cada escolha tomada e objectivo definido. Se, afinal de contas, me focar no que ficou para trás nunca verei o que está à minha frente, então prefiro abandonar todo o mal que me fizeram sentir e encarar o bem que nestes últimos tempos me tentam oferecer de mão beijada. Como aquele respeito e boa consideração que, um dia, eu ofereci a alguém, a diferença é que neste novo jogo ganha quem dá uma vez que quem recebe sabe bem tratar o que tem em mão.
Hoje aprendi a jogar poker, não faz muito o meu género, mas lá se fez uma tentativa e para principiante não correu assim tão mal. Digamos que é um jogo que até se adequa ao meu dia-a-dia: só apostas quando tens a certeza que vais ganhar esta mão, que ou tens um par de Ases ou um trio de Reis ou um par de qualquer coisa superior ao de alguém, portanto, apostas em algo que sabes que a seguir irá parar à tua mão e aumentas a parada com o objectivo de alcançar mais e melhor, sabendo que, obrigatoriamente, terás de cuidar muito bem o que ganhas. E se cuidas do que ganhas, sais glorioso do jogo. Mas cuidado, às vezes é preciso prestar atenção ao que o nosso adversário aposta, o bluff é muito característico neste jogo e arrisca-se a perder tudo o que se tem.
Mas a vida à minha maneira corre-me às mil maravilhas, isto de saber apostar no que me vem parar às mãos faz-me quebrar regras, ultrapassar limites e destruir leis; às vezes sabe tão bem esquecer barreiras e fugir ao óbvio. Sabe tão bem construir a vida à minha maneira e receber as apostas de quem realmente merece o meu respeito – e isto sim, é saber jogar Poker!

Mudanças, glória & felicidade.

2 comentários:

Ana Filipa Silva disse...

Achei muito interessante e logica essa comparação do dia-a-dia ao poker.
Deu para relectir :)

Adorei :D

Beijoo :*

Marilena' disse...

gostei *