sábado, 26 de maio de 2012

Bom dia, (19)

Bom dia, meu amor.
Acho que hoje acordei inspirada. Um pouco mais que ontem e menos que amanhã, digo-te já. Mas não posso deixar passar ao lado o nosso dia 24, que foi há dois dias atrás, dia em que vivemos juntos, mas atarefados; juntos, mas ocupados; juntos, mas nunca esquecidos; juntos e sempre amados. Ora, isso não é o nosso dia-a-dia? Do you know how lovely you are? Que mesmo apesar das nossas tarefas de saúde misturadas com gestão, mesmo com as nossas poucas horas de sono diárias, mesmo com todas as nossas preocupações, és capaz de me ver todos os dias, de me abraçar e beijar todos os dias. E, diga-se de passagem, que não há um único dia em que não façamos as nossas tão belas e deliciosas caretas que tantos desconhecem, nem há um dia que passe sem te ver, muito menos estar só contigo apenas uma hora! Não, não somos mel, somos chocolate com avelãs, como aqueles que comemos todos os dias enquanto estamos a estudar, sabes? Somos assim, eu o chocolate e tu as avelãs, a combinação perfeita de um eterno amor. Vivemos todos os dias juntos porque felizmente temos oportunidade para tal, porque sei que em 10 minutos a pé me ponho em tua casa e tu na minha e que, por acaso, o autocarro que eu apanho para a faculdade é o mesmo que o teu, e mesmo que apanhemos a horas completamente diferentes (eu pela manhã cedo já antes das 8h e tu pelo fim da tarde), há sempre tempo para nós, ora esses autocarros não parassem logo à minha porta e à tua! Que se lixem os autocarros, só nos interessa o carro e os passeios de carro muito brevemente possíveis, meu excelente condutor. Eu até posso estar toda rota devido às minhas excelentes aulas de investigação, ou aquelas de prática clínica em que me ligas a falar todo fofinho e ouves as vezes das minhas queridas colegas enfermeiras (sim, nós as enfermeiras somos um tanto ou quanto apimentadas, um tanto ou quanto dóceis e sempre disponíveis), mas estou contigo, nem que durma um pouco ao teu lado para, quando acordar, aproveitar o que nos resta do dia. E se durante o dia não houver tempo, temos a noite toda pela frente, temos os serões de jantar já quase rotineiros e os passeios pela noite, nem que seja para apanhar um pouco de ar. Tu até podes estar com uma taquicardia mas eu sei que o meu abraço te acalma. Cada vez tenho mais a certeza de que o nosso caminho é este, eu, futura enfermeira dos meus prematuros e tu, futuro gestor de um hotel, juntos, lado a lado, todos os dias. Porque eu não sei o que seria de mim sem ti, sem ti para organizares o meu dia e planeares os nossos encontros. Porque eu não sei o que seria de mim se não tivesse passado estes 19 meses ao teu lado. Repito, estes belos 19 meses ao teu lado, 570 dias juntos, se calhar nem todos... 560, vá. Porque eu não sei onde estaria neste momento, se a desistir do dom de cuidar, se a preocupar-me com a química. Por isso, só me resta agradecer-te, por estes 19 meses que dizemos sempre que sabe a pouco, realmente o que são 19 meses comparados a uma vida? Porque este sorriso, esta alegria, este conforto, esta dedicação, esta companhia, este lado-a-lado, esta cumplicidade, esta confiança e este amor somos nós, todos os dias. Eu serei o teu eterno amor, tu e o meu. Vou agora acordar-te, bom dia bebé.

1 comentário:

Ana de Oliveira disse...

Estou a seguir.

http://writersfield.blogspot.pt