sexta-feira, 28 de agosto de 2009

inconsciência da influência


Somos tão banais, tão influenciados, tão inconstantes, tão … inconscientes! É isso, inconscientes. Adoramos pôr a carroça à frente dos bois e a noite à frente do dia, adoramos começar pelo prato da sobremesa e começar pela gargalhada antes da piada ser lançada ao ar. E é neste clima que vivemos, num clima de constante inconsciência que nos torna banais nestas nossas influências. E em tantas influências esquecemo-nos dos que realmente pintam o céu e o mar da nossa vida de azul e desenham em tons de amarelo os raios de sol quente no nosso dia-a-dia, esquecemo-nos de quem nos trava uma lágrima e a substitui por um ‘secret smile’. Todos passamos pelo mesmo, ora não fosse este o erro mais banal que actualmente se observa. O que se julgava ser cruel, actualmente é banal e, por isso, estes erros já são insignificantes e só interessa o que fazemos depois de cometer estes erros. Se os admitimos, se os corrigimos, se conseguimos passar uma borracha por cima das nuvens pintadas de cinzento no céu azul que outrora tenhamos rascunhado. Nesta época não gosto lá muito de ver nuvens cinzentas no meu céu, já por isso peço-te que as apagues, pois sei que não é isto que desejas. Sei que não és assim, que és capaz de colorir da melhor maneira o meu dia e rasgar-me o maior sorriso apesar dessa inconsciência que te influencia todos os dias.



p.s: voltei do belo campismo com as belas pessoas da minha vida (: *

5 comentários:

Cátia Vieira disse...

é que é mesmo verdade! gostei (:

André Sá disse...

É assim que temos o mundo como descreveste... frio, materialista.

Pessoas que passeiam durante a vida sem nunca existirem, na verdade.

Gostei do texto :)

Beijinho*

ti em mim disse...

obrigado =)

Patrícia Costa disse...

adorei.gostei!

Filipa disse...

sei lá..., simplesmente lindo :)