quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

percepção

Eu não sou ninguém. Tu não és ninguém. Nos alimentamos as nossas vidas de sonhos e prazeres e acabamos com ela através dos nossos vícios e loucuras. No Mundo ninguém é ninguém porque ninguém sabe ser. Esta percepção de vida que me leva a filosofar de vez em quando àcerca do que realmente somos e… chego à conclusão que não somos nada. Na verdade, para quê sermos médicos se acabamos exactamente da mesma forma que o drogado da rua de cima?
O interesse da nossa sociedade é gloriar o seu próprio nome para que não caia no esquecimento quando o negro o levar. E metade da nossa sociedade preocupa-se mais em gloriar o nome do que em gloriar a sua própria vida e isso… isso é não saber ser, é não saber viver.

7 comentários:

Diogo Silva disse...

O que escreves fez-me pensar...consegues faze-lo( é quase milagroso =P brincando*) como muito poucos conseguiriam...talvez duas pessoas apenas o fazem além de ti. E tu com estas reflexões consegues isso. Sem duvida algo notavel =D
Realmente as pessoas não são mais por terem mais ou mostrarem mais. São por aquilo que vivem e sentem e a isso chamo alma. È preciso alma em cada passo que damos. Espero que a tua vida seja melhor do que aquilo que imaginas pois isso sim é arrebatador =D

Ana Filipa Silva disse...

Um texto que deixaria qualquer um pensativo e a reflectir sobre a "vida"... E exprimes tão bem aquilo que pensas, de forma tão clara... *-*

Segunda Pele disse...

ja muito antes de criar um blog, estava a atenta ao teu. gosto muito, parabens :)

5 senses disse...

Mas na sociedade (que não questiona), o melhor aceite é o médico e não o drogado. Ser médico não é então, também a satisfação duma necessidade do Homem: satisfação do ego. Também por causa do ego procuramos significado para a nossa existência, e também a perfeição.
Mas divago... Posso estar em erro.
Gostei muito!

Leonor disse...

Aparentemente a nossa sociedade estipulou (sem o nosso conhecimento, parece) que é assim que se vive.
É a verdade e tu expressaste-a muito bem (: *

Segunda Pele disse...

ha uns posts teus antigos que eu adoro! *
obrigada, tambem vou seguir o teu :)

Verinha disse...

Sinceramente Catarina, este mundo tornou-se egoísta desde há muitas décadas, ultimamente acho que vivemos numa sociedade saturada de desgraçados - que não têm outro nome - mas um dia as pessoas que realmente se preocupam que realmente querem. Penso que seremos capazes. Seremos mais capazes "a viver do que a morrer". E alcançaremos o nosso verdadeiro céu, é só preciso nunca deixar de acreditar, nunca deixar de ajudar, porque mesmo quem se acha não precisar, um dia há-de ficar grato.
Obrigada por este prazer desta leitura, mais uma! Beijinho*