sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

"eu não vou desaparecer"

Hoje pensei.
E sabes, hoje cheguei a conclusão que gosto demasiado de ti para te deixar partir assim, com os terríveis ventos e esperas profundas. Por isso quero que fiques, nem seja para me ofereceres um simples sorriso assim do outro lado da rua ou para me confortares a alma sempre que te recorro. Se há coisa que não suporto, é deixar que o tempo leve quem gosto. Prometi a mim mesmo que iria mudar o desígnio que me perseguia porque gosto demasiado de ti para que o vento te leve como se nunca me tivesses pertencido. E aproveita, que a vida anda generosa comigo mesma…

1 comentário:

luisinha disse...

que mimo *.* as tuas palavras são sempre tão certas