segunda-feira, 19 de julho de 2010

voar com o vento


"A vida não passa disto, os momentos perfeitos servem para nos dar força para todos os outros e ensinam-nos que a eternidade às vezes só dura alguns momentos, mas entre caixotes, pó, memórias perdidas no tempo e a certeza que nunca mais entrarei na casa onde vivemos, guardo-te com o sabor dos chocolates que já viveram na mesma caixa onde agora repousas, sereno e pacificado como o meu mais perfeito companheiro, na doçura triste que sucede a desordem do amor."

Fazes-me voar com o vento, seguir os seus desejos e vaguear por locais desconhecidos. Fazes-me seguir os teus passos, colocar-te num pedestal e cair em teus braços.
Sou destemida e raramente me dou como vencida, tu sabes, tu tens esse dom de conhecer todos os meus cantinhos, todos os meus segredos, todos os meus medos, todos os meus olhares, todas as minhas palavras e todos os meus sentimentos. És um sortudo, sabias? Tens todos os dias o melhor de mim, mesmo quando a minha maior vontade é pegar em ti e enfiar-te dentro de um caixote do lixo a sete chaves para não sentir o meu coração a pulsar mais rápido sempre que te observa, e de preferência com a boca tapada para a minha pele não arrepiar assim que ouvir a tua voz. Mas tu tens o melhor de mim todos os dias, até mesmo nos dias em que não dirigimos a palavra um ao outro. Tens a tua caixinha dos segredos e eu tenho a minha e tenho os teus ventos que te enviam o melhor de mim. Tu apareces aqui às quatro horas da tarde e eu acordo feliz só de saber que poderei ver-te hoje e esquecer os longos dias que não te ponho a vista em cima. Sabes como é voltar a acordar assim? Não importa o tempo que se faz sentir lá fora, a roupa suja que ainda temos que lavar, a loiça espalhada da noite anterior nem mesmo o barulho tremendo dos vizinhos! Sabes há quanto tempo anseio por acordar assim outra vez? Voo com o vento porque o vento te traz até mim quando lhe peço, deixa-me olhar por ti sem tu dares por ela e faz-me acordar com vontade de sorrir para a vida.
Por isso eu não me queixo dos ventos quentes nem dos ventos frios, desde que eles façam o seu brilhante papel de mosquinha curiosa e me contem o teu dia ao pormenor para eu certificar-me que sorris para a vida como eu, meu fiel companheiro.

5 comentários:

Ângela Raquel disse...

Lindo!

Raquel M. disse...

Obrigada pelo comentário. Sigo o teu blog e adoro o q escreves. Sentes muito as coisas tal como eu, e vivemos felizes a sentir À flor da pele..


**

Diogo Silva disse...

É verdade tens toda a razão ando desaparecido mas é por boas razões...uma porque tou em epoca de exames a fazer pelo meu futuro no mundo dos tribunais hehe e outro porque tou a escrever um livro e dedico-me mais a ele =D mas venho aqui sempre que tenha um poukinho de felicidade no que escreva =P mas não e por isso que deixo de ler o que escrever ja to disse antes e és sem duvida a minha escritora favorita nos blogues que leio e venho ca regularmente =D Um grande beijinho e continua que este texto continua fantastico =D

Segunda Pele disse...

Oh Catas, que lindo fogo :o

Diogo Silva disse...

Hehehe Segues o que gostas e isso é fantástico =D um ano passa rapido vais ver depois já experimentas o stress mas acima de tudo a liberdade e a autorealização do ensino superior sigas tu o que seguires =0) não agradeças e se o fizeres que seja com mais textos ao teu nível =D hehe beijinhoO*