segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

my sweet past perfect


Afirmo agora que hoje sou só eu, que hoje não existe mais ninguém tão forte, tão glorioso nem grandioso como eu. Aposto até que ninguém voltará a pisar seus pés na Lua como eu o fiz na noite passada, noite essa em que mais me recordei de ti e necessitava mesmo de refrescar a minha memória, onde as estrelas conseguiram brilhar sem a tua presença, fantástico! Afastem-se rodeios, retirai-me estas indefinições e esta reviravolta de sentimentos que se apoderou de mim nestes últimos tempos, porque hoje, ninguém é capaz de definir tão bem os vocábulos quanto eu. Não há ninguém mais certo da sua vivência do que eu. Eu, que hoje, finalmente fui capaz de observar os mais pequenos detalhes que constituem o meu pretérito perfeito e nem uma lágrima derramei. (Confesso que permaneci uns minutos irritada, talvez pelas mil e uma histórias mal contadas que, por mais simples e objectivas que sejam, sobrepõem-se sempre à minha capacidade de compreensão). Talvez nunca tenhas notado que possuo uma força tão grandiosa e as coisas mais belas existentes neste Mundo que jamais perderei a guerra, muito menos jamais te irei oferecer como prenda de natal a vitória, meu querido pretérito (mais) que perfeito.

2 comentários:

Jú disse...

"Eu, que hoje, finalmente fui capaz de observar os mais pequenos detalhes que constituem o meu pretérito perfeito e nem uma lágrima derramei." E eu, eu gostava de me conseguir identifcar com pequeninos pormenores do teu. Talvez um dia. :)

<3 E eu gosto de ti, xuxu. (:

isfb disse...

Então, não percas a garra e a força que tens e dás. (penso que) não precisas de ninguém para dar conta do que és, da grande pessoa que és!
Nunca deixes que aquilo que os outros pensem se sobreponha ao que tu acreditas que és.
cata, sempre <3