quarta-feira, 1 de outubro de 2008

gente perdida.

Eu fui devagarinho
com medo de falhar
não fosse esse o caminho certo
para te encontrar
fui descobrindo devagar
cada sorriso teu
fui aprendendo a procurar
por entre sonhos meus


eu fui assim chegando
sem entender porquê
já foram tantas vezes tantas
assim como esta vez
mas é mais fundo o teu olhar
mais do que eu sei dizer
é um abrigo pra voltar
ou um mar pra me perder

lá for a o vento
nem sempre sabe a liberdade
a gente finge
mas sabe que não é verdade
foge ao vazio
enquanto brinda, dança e salta
eu trago-te comigo
e sinto tanto, tanto a tua falta


eu fui entrando pouco a pouco
abri a porta e vi
que havia lume aceso
e um lugar pra mim
quase me assusta descobrir
que foi este sabor
que a vida inteira procurei
entre a paixão e a dor

lá for a o vento
nem sempre sabe a liberdade
gente perdida
balança entre o sonho e a verdade
foge ao vazio
enquanto brinda, dança e salta
eu trago-te comigo
e sinto tanto, tanto a tua falta

lá for a o vento
nem sempre sabe a liberdade
a gente finge
mas sabe que não é verdade
foge ao vazio
enquanto bebe, dança e ri
eu trago-te comigo
e guardo este abraço só para ti

2 comentários:

Qel disse...

MAFALDA VEIGAAAAAAAAAAAA :'D

isfb disse...

"eu trago-te comigo
e sinto tanto, tanto a tua falta "

mais do que outra pessoa tu mereces essa felicidade que está dentro de ti e que me vais contagiando, a mim, aos poucos. obrigado não chega nem por metade do que tens feito, e sabes (muito) bem que nunca te vou largar a mao.
amo-te (: