segunda-feira, 2 de novembro de 2009

terceira é de vez?


Muitos dizem que não precisam de chegar à terceira tentativa para saber se vale a pena  ou não viver certas experiências. Cá eu discordo, acho que somos todos capazes de determinar o nosso próprio número de tentativas consoante as experiências que queremos viver e podemos transformá-las no que quisermos. Dizem que à terceira é de vez, mas mesmo que não seja, iremos usufruir que uma nova quarta, ou quinta, ou sexta... Mais vale tentar do que ficar a olhar e eu não gosto muito de desperdiçar o que me vem parar às mãos. E se cá caíste é porque o teu lugar era aqui - caindo tu de pára-quedas ou não, não me é relevante a forma como cá chegaste.
Meu tesouro, já tinha saudades de sentir o teu calor, o teu perfume, o teu toque. Já tinha saudades de pensar todos os dias em ti sabendo que te tenho todos os dias junto a mim. E não há melhor sensação do que esta que nem as mais brilhantes palavras conseguiriam definir. Nunca percebi a forma como me dominas, como não te consigo resistir sempre que te chegas junto a mim e me fixas o teu olhar desenhando um sorriso no meu rosto. Fazes-me fintar as palavras para conseguir golear os textos e deixas-me sempre com algo por concluir porque adoras cortar-me o raciocínio com os teus doces beijos. Perdi conta do número de dias que nos guardamos mutuamente e já nem sei quantos minutos desfruto agora ao teu lado. Perdi conta da quantidade de vezes que entramos em brincadeiras que nos fazem soltar as mais sentidas gargalhadas e a quantidade de vezes que entramos em pequenos jogos de chantagem para obter algo no final como vitória. Sabes, perdi a noção do que nos transformamos de tantas situações que se meteram entre nós. Nem sei qual será a próxima fase, nem no que nos iremos transformar daqui a uns dias. Às vezes sinto um medo que me rói aqui dentro que tenta contrariar os meus actos, outras vezes sinto uma segurança enorme quando me abraças e me sufocas. Gosto de sentir que despejas toda a tua confiança em mim mesmo quando sabes que ultimamente recuo um passo a cada dois que caminho e gosto do brilho do teu olhar que me transmite a sinceridade das tuas palavras. E sabes, eu cá acho que merecemos o maior número de tentativas que nos vierem parar às mãos, pois sei que irá existir sentimento para suportá-las todas. Nós, somos os donos das nossas experiências, e tu és o dono da felicidade que me acompanha todos os dias.


"Hoje posso-te dizer, sem qualquer dúvida. És a miúda da minha vida e eu não quero mais ninguém."

2 comentários:

Verinha disse...

Se não for de vez, para mais alguma coisa contribuirá esta terceira vez, e do fundo do coração, só te desejo a maior sorte e felicidade do mundo. Tu mereces brilhar todos os dias! :)*

luisinha disse...

tu é que sim! tão fofinha ++